terça-feira, 12 de abril de 2011


A esperança é a última que morre

Poderia até ser uma missão praticamente impossível o Atlético conseguir passar para a próxima fase da Copa do Brasil, mas a esperança é a última que morre e esta ainda reinava nos torcedores atleticanos e nos torcedores do futebol goiano. Eu mesma acreditava, mesmo que desacreditando na classificação do time da Campininha para a próxima fase. Em futebol tudo se é possível, quem não se lembra do fenomenal 4x4 entre Santos e Goiás. O time da Serrinha perdia em pleno domínio santista, e conseguiu um empate histórico num jogo que o rei do futebol estava jogando. Tantos outros resultados heróicos ocorreram na história do futebol. Então acreditar na classificação do Dragão era preciso. Esperança é a última que morre! O jogo começara tarde quase 22:00 horas, horário ruim para quem tem que levantar cedo, mesmo assim, revestida pelo otimismo, pelo meu amor ao futebol goiano, acompanhei o jogo. Meu otimismo começou cair por terra no momento da escalação do Dragão; onde já se viu Juninho e Pituca ficarem no banco de reservas?! Mas em time em que está perdendo, se mexe! Mesmo assim permaneci firme no meu propósito de torcer, afinal a esperança é a última que morre, ainda bem que minha sogra não se chama esperança. Ainda na metade do primeiro tempo, o nosso time goiano que precisaria vencer por dois gols de diferença, perdia por dois gols de diferença. Que descrença! Mas a esperança é a última que morre! Entretanto, me apoiando na máxima do futebol, na qual se diz que o placar de 2x0 não é tranquilizante (é perigoso), meu otimismo ainda permanecia. Ganhando por 2x0 o Coritiba se acomodaria e o Dragão com certeza o placar viraria! Na realidade, perder seja por qualquer placar, não é tranquilizador para o time perdedor. Mas ainda tinha muito jogo pela frente... A esperança é última que morre! No segundo tempo, René Simões fez alterações no time, Jesiel e Elvis já começaram a etapa final jogando, pouco tempo depois, entrou o Juninho, o franzininho bom de bola. O time sua postura em campo melhorou e a equipe do Coritiba em boa parte do tempo dominou. É bem verdade que até bola na trave o time do Coxa acertou. Mais uma máxima do futebol veio em minha mente: quem não faz leva. Mas neste jogo, as máximas do futebol insistiam em não entrar em campo. Que desencanto! Juninho, num gol meio que sem querer, aumentou meus ânimos em torcer. Afinal, o time poderia empatar, virar e para a próxima fase da Copa do Brasil se classificar. Esperança é a última que morre! Aos 39 minutos, com o terceiro gol do Coritiba e com as luzes do Couto Pereira já quase se apagando, finalmente meu otimismo caiu por terra, a minha esperança após em muito resistir, infelizmente foi se esvaindo de mim... Neste jogo para nossa grande decepção, as máximas do futebol não entraram em campo: ganhar pelo placar de 2x0 não é tranquilizante (é perigoso) e quem não faz leva. O Atlético não se classificou, torcer foi bom enquanto a minha esperança durou, mas ela ainda não morreu, e sim foi transferida para a equipe do Goiás, a qual entra hoje em campo. Quem sabe desta vez o Goiás faça uma excelente campanha na Copa do Brasil e conquiste o título, temos que ser otimistas; otimismo sempre e sempre. E a esperança é a última que morre!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

terça-feira, 12 de abril de 2011


A esperança é a última que morre

Poderia até ser uma missão praticamente impossível o Atlético conseguir passar para a próxima fase da Copa do Brasil, mas a esperança é a última que morre e esta ainda reinava nos torcedores atleticanos e nos torcedores do futebol goiano. Eu mesma acreditava, mesmo que desacreditando na classificação do time da Campininha para a próxima fase. Em futebol tudo se é possível, quem não se lembra do fenomenal 4x4 entre Santos e Goiás. O time da Serrinha perdia em pleno domínio santista, e conseguiu um empate histórico num jogo que o rei do futebol estava jogando. Tantos outros resultados heróicos ocorreram na história do futebol. Então acreditar na classificação do Dragão era preciso. Esperança é a última que morre! O jogo começara tarde quase 22:00 horas, horário ruim para quem tem que levantar cedo, mesmo assim, revestida pelo otimismo, pelo meu amor ao futebol goiano, acompanhei o jogo. Meu otimismo começou cair por terra no momento da escalação do Dragão; onde já se viu Juninho e Pituca ficarem no banco de reservas?! Mas em time em que está perdendo, se mexe! Mesmo assim permaneci firme no meu propósito de torcer, afinal a esperança é a última que morre, ainda bem que minha sogra não se chama esperança. Ainda na metade do primeiro tempo, o nosso time goiano que precisaria vencer por dois gols de diferença, perdia por dois gols de diferença. Que descrença! Mas a esperança é a última que morre! Entretanto, me apoiando na máxima do futebol, na qual se diz que o placar de 2x0 não é tranquilizante (é perigoso), meu otimismo ainda permanecia. Ganhando por 2x0 o Coritiba se acomodaria e o Dragão com certeza o placar viraria! Na realidade, perder seja por qualquer placar, não é tranquilizador para o time perdedor. Mas ainda tinha muito jogo pela frente... A esperança é última que morre! No segundo tempo, René Simões fez alterações no time, Jesiel e Elvis já começaram a etapa final jogando, pouco tempo depois, entrou o Juninho, o franzininho bom de bola. O time sua postura em campo melhorou e a equipe do Coritiba em boa parte do tempo dominou. É bem verdade que até bola na trave o time do Coxa acertou. Mais uma máxima do futebol veio em minha mente: quem não faz leva. Mas neste jogo, as máximas do futebol insistiam em não entrar em campo. Que desencanto! Juninho, num gol meio que sem querer, aumentou meus ânimos em torcer. Afinal, o time poderia empatar, virar e para a próxima fase da Copa do Brasil se classificar. Esperança é a última que morre! Aos 39 minutos, com o terceiro gol do Coritiba e com as luzes do Couto Pereira já quase se apagando, finalmente meu otimismo caiu por terra, a minha esperança após em muito resistir, infelizmente foi se esvaindo de mim... Neste jogo para nossa grande decepção, as máximas do futebol não entraram em campo: ganhar pelo placar de 2x0 não é tranquilizante (é perigoso) e quem não faz leva. O Atlético não se classificou, torcer foi bom enquanto a minha esperança durou, mas ela ainda não morreu, e sim foi transferida para a equipe do Goiás, a qual entra hoje em campo. Quem sabe desta vez o Goiás faça uma excelente campanha na Copa do Brasil e conquiste o título, temos que ser otimistas; otimismo sempre e sempre. E a esperança é a última que morre!

Nenhum comentário:

Postar um comentário