sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Que momento lindo!

"Saudade palavra triste quando se perde um grande amor..." Estava eu, ontem, assistindo ao jogo entre São Paulo e Atlético Goiano(é claro), quando umas pessoas simpáticas se reuniram na porta de minha casa e começaram a cantar esta belíssima canção “Meu primeiro amor”. Num primeiro momento fiquei sem reação, pensei: "Nossa o que é isso?! Depois ainda sem sair de dentro de minha sala continuei apreciando tamanha beleza e pensando: "Não vou sair lá fora, pois pode ser engano e eles vão parar de cantar". Assim, quando terminaram de cantar este primor acendi a luz da garagem e finalmente desentoquei de minha sala. Elogiei bastante as simpáticas pessoas e logo elas me esclareceram do que se tratara: elas faziam parte do projeto “Revirada Cultural "promovido pela prefeitura de Goiânia. Aproveitei a oportunidade, pedi para elas cantarem mais uma música e elas prontamente me atenderam; cantaram “Noites goianas”. Que momento lindo vivi ontem, serenata é emocionante demais; como tal tradição pôde ir se perdendo?! Imaginem a emoção que deve ser você receber uma serenata da pessoa amada?! Abaixo coloquei um vídeo da música “Meu primeiro amor” interpretada por Cascatinha e Inhana:


2 comentários:

  1. Prezada Lívia, desculpe-me pela demora. Aí vai um de meus textos. Abraço.


    BRAÇO: DEUS EM SI
    O braço...
    Alva seta, flecha certa!
    Arredondado, mas sem excessos,
    Contornado pelos predicativos.

    O braço que me envolve
    Não é real, é abstrato...
    Nas cenas, o braço me abraça,
    O sonho parece o viver,
    A cena é clara:
    O braço acena que há desejo.

    O braço...
    Entre ele e o recôndito secreto,
    Busco pistas de confirmação.

    O braço...
    Natural, sem artificialidades,
    Sem banalidades:
    Capaz de enlouquecer o poeta.

    Prof. Luciano Byron

    ResponderExcluir

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Que momento lindo!

"Saudade palavra triste quando se perde um grande amor..." Estava eu, ontem, assistindo ao jogo entre São Paulo e Atlético Goiano(é claro), quando umas pessoas simpáticas se reuniram na porta de minha casa e começaram a cantar esta belíssima canção “Meu primeiro amor”. Num primeiro momento fiquei sem reação, pensei: "Nossa o que é isso?! Depois ainda sem sair de dentro de minha sala continuei apreciando tamanha beleza e pensando: "Não vou sair lá fora, pois pode ser engano e eles vão parar de cantar". Assim, quando terminaram de cantar este primor acendi a luz da garagem e finalmente desentoquei de minha sala. Elogiei bastante as simpáticas pessoas e logo elas me esclareceram do que se tratara: elas faziam parte do projeto “Revirada Cultural "promovido pela prefeitura de Goiânia. Aproveitei a oportunidade, pedi para elas cantarem mais uma música e elas prontamente me atenderam; cantaram “Noites goianas”. Que momento lindo vivi ontem, serenata é emocionante demais; como tal tradição pôde ir se perdendo?! Imaginem a emoção que deve ser você receber uma serenata da pessoa amada?! Abaixo coloquei um vídeo da música “Meu primeiro amor” interpretada por Cascatinha e Inhana:


2 comentários:

  1. Prezada Lívia, desculpe-me pela demora. Aí vai um de meus textos. Abraço.


    BRAÇO: DEUS EM SI
    O braço...
    Alva seta, flecha certa!
    Arredondado, mas sem excessos,
    Contornado pelos predicativos.

    O braço que me envolve
    Não é real, é abstrato...
    Nas cenas, o braço me abraça,
    O sonho parece o viver,
    A cena é clara:
    O braço acena que há desejo.

    O braço...
    Entre ele e o recôndito secreto,
    Busco pistas de confirmação.

    O braço...
    Natural, sem artificialidades,
    Sem banalidades:
    Capaz de enlouquecer o poeta.

    Prof. Luciano Byron

    ResponderExcluir