sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Especialidade do Dragão

Embora o Dragão seja uma fera imponente, a qual amedronta muita gente, na elite do futebol brasileiro, a história tem sido um pouco diferente. Levou bicadas de Periquito, de Urubu e de Galo, foi “mordido” por Peixe, enfim todos estavam/estão querendo pontuar em cima da desmistificada fera. As chamas do Dragão estavam servindo apenas para iluminar o caminho dos adversários; as chamas se configuraram em uma potente lanterna. O lanterninha da competição, que humilhação! Era o que mais se ouvia dos locutores e comentaristas da televisão.
Acanhado, ferido, mas faminto e confiante o Dragão foi convidado para alegrar a festa de aniversário do velho Porco; 96 anos no lombo, e por falar em lombo, um lombinho assado cai muito bem . Enfrentar o lanterninha da competição faria jus a comemoração, com dois ou três golpes estaria a fera abatida no chão. Mera ilusão. De nada adiantou o comando do Felipão.
Mal chegou e o Dragão já foi parabenizando o adversário; Elias se mostrou muito solidário e deu três presentes de aniversário. Não sei se os palmeirenses gostaram do presente, mas, porco ganhado, digo, cavalo ganhado, não se olha os dentes; mesmo que seja o preterido presente de grego.
O Dragão se mostrou um exímio especialista na preparação de carne suína. Pela Copa do Brasil, com tamanha paciência saiu um porco à pururuca daqueles... No Brasileirão, após sofrer muita humilhação, e com uma fome de Leão, digo, de Dragão, já foi logo fritando o porco. Entretanto, o lombo foi preparado por último, assado, como este convém ser saboreado. Se por um lado nos últimos anos o Santos tem se consolidado um grande freguês esmeraldino, por outro o Palmeiras tem alegrado muito a freguesia atleticana.
O time do Atlético aos poucos tem progredido. Diante dos reservas do Inter, o time da Campininha teve uma boa atuação, por pouco não ganhou a partida; tinha uma trave no final do caminho da bola chutada por Willian. Contudo, se tratavam dos reservas do Inter, mas o time progredira. No jogo contra o Palmeiras, a progressão continuou; o Atlético foi senhor absoluto do jogo, parecia até que estava jogando em casa. Com o meio campo neutralizando e criando as jogadas, a defesa atleticana ficou sossegada e o ataque mais alimentado. É cedo para tal afirmação, mas me parece que o Diguinho veio para levantar o nível do futebol do Dragão. Será que o Dragão continuará progredindo na competição?

2 comentários:

  1. Lívia,
    Maravilhoso zoológico desportivo. Uma verdadeira arca de Noé futebolística. Embora não entenda muito do assunto, sei que você mandou bem! Um beijo.

    ResponderExcluir
  2. Olá, Lívia, seu texto é tão agradável de ler, que prende a atenção até de quem não entende bem do assunto como eu. Parabéns, menina!Obrigada pela visita e pelo carinho. Bjos!

    ResponderExcluir

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Especialidade do Dragão

Embora o Dragão seja uma fera imponente, a qual amedronta muita gente, na elite do futebol brasileiro, a história tem sido um pouco diferente. Levou bicadas de Periquito, de Urubu e de Galo, foi “mordido” por Peixe, enfim todos estavam/estão querendo pontuar em cima da desmistificada fera. As chamas do Dragão estavam servindo apenas para iluminar o caminho dos adversários; as chamas se configuraram em uma potente lanterna. O lanterninha da competição, que humilhação! Era o que mais se ouvia dos locutores e comentaristas da televisão.
Acanhado, ferido, mas faminto e confiante o Dragão foi convidado para alegrar a festa de aniversário do velho Porco; 96 anos no lombo, e por falar em lombo, um lombinho assado cai muito bem . Enfrentar o lanterninha da competição faria jus a comemoração, com dois ou três golpes estaria a fera abatida no chão. Mera ilusão. De nada adiantou o comando do Felipão.
Mal chegou e o Dragão já foi parabenizando o adversário; Elias se mostrou muito solidário e deu três presentes de aniversário. Não sei se os palmeirenses gostaram do presente, mas, porco ganhado, digo, cavalo ganhado, não se olha os dentes; mesmo que seja o preterido presente de grego.
O Dragão se mostrou um exímio especialista na preparação de carne suína. Pela Copa do Brasil, com tamanha paciência saiu um porco à pururuca daqueles... No Brasileirão, após sofrer muita humilhação, e com uma fome de Leão, digo, de Dragão, já foi logo fritando o porco. Entretanto, o lombo foi preparado por último, assado, como este convém ser saboreado. Se por um lado nos últimos anos o Santos tem se consolidado um grande freguês esmeraldino, por outro o Palmeiras tem alegrado muito a freguesia atleticana.
O time do Atlético aos poucos tem progredido. Diante dos reservas do Inter, o time da Campininha teve uma boa atuação, por pouco não ganhou a partida; tinha uma trave no final do caminho da bola chutada por Willian. Contudo, se tratavam dos reservas do Inter, mas o time progredira. No jogo contra o Palmeiras, a progressão continuou; o Atlético foi senhor absoluto do jogo, parecia até que estava jogando em casa. Com o meio campo neutralizando e criando as jogadas, a defesa atleticana ficou sossegada e o ataque mais alimentado. É cedo para tal afirmação, mas me parece que o Diguinho veio para levantar o nível do futebol do Dragão. Será que o Dragão continuará progredindo na competição?

2 comentários:

  1. Lívia,
    Maravilhoso zoológico desportivo. Uma verdadeira arca de Noé futebolística. Embora não entenda muito do assunto, sei que você mandou bem! Um beijo.

    ResponderExcluir
  2. Olá, Lívia, seu texto é tão agradável de ler, que prende a atenção até de quem não entende bem do assunto como eu. Parabéns, menina!Obrigada pela visita e pelo carinho. Bjos!

    ResponderExcluir