sábado, 12 de junho de 2010

E começa a Copa

Meus amigos e minhas amigas, começou o maior evento de futebol do mundo – A Copa do Mundo – Nossa, confesso a vocês que não estou conseguindo desgrudar os olhos da televisão no momento dos jogos(que a professora Kátia ou a professora Lurdinha não leiam isso), é um evento evolvente, empolgante e que mexe muito com o coração da gente. Antes do início da competição, eu não estava muito animada e muito menos empolgada, mas bastou à bola rolar para o meu coração despertar.
No jogo de abertura, quando vi o Parreira, fiquei me questionando: “ué, cadê o Zagallo? E o Robinho, o Kaká....?" Foi pura falta de atenção, eu que estava acompanhando o Goianão e o começo do Brasileirão esqueci de privilegiar a nossa Seleção. Que falta de informação, é o Dunga que está a frente da nossa Seleção, me perdoem meus amigos e minhas amigas, isso tudo foi por causa da grande decepção que sofri quando o Brasil perdeu para a França por causa de um meião. A Seleção do Parreira, que para nossa sorte não é mais a Brasileira, foi a primeira a estrear para ao delírio os donos da casa levar. Entretanto, a vitória não veio, além dos mexicanos, tinha um juiz no meio. O Parreira tem grande responsabilidade, pois comanda o time da CIDADE.
Mais tarde foi a vez dos franceses, dos quais ultimamente nos tornamos grandes fregueses. Inicialmente gritos de Allez les Bleus eram ouvidos, mas quando os torcedores perceberam que o adversário, Uruguai, estava de azul e a França estava de branco, logo se cessou o canto. Tinha um torcedor com um galo, se bem que aquilo não era um galo se parecia mais com uma galinha. Não, não devia ser o frango que apareceu no sábado em campo. O placar desta partida não foi alterado, e o técnico francês ficou desconsolado. Que cara mais antipático.
No sábado tivemos três grandes confrontos. O time dos grandes heróis e deuses mitológicos, não fizeram a vez de Hércules, Tseu, dentre outros e não apelaram a Zeus rei de todos os Deuses, vez que permitiram sem muita resistência a vitória dos coreanos. Ah, eles fizeram a vez de Afrodite a deusa do amor por ocasião do dia dedicado aos apaixonados, eles não quiseram magoar seus adversários. Que ato de heroísmo, digo, romantismo. E os Argentinos? Com uma elegância admirável, Maradona estava mesmo incontestável. As câmaras focalizavam mais ele do que o jogo em si, o gol da Argentina praticamente não vi; só ouvi, ou melhor, li dos lábios de Maradona, algo como: “ei, ei,” contestando a arbitragem. Os argentinos ganharam, se abraçaram e muito comemoraram. Maradona se mostrou muito carinhoso e em cada um de seus atletas deu um beijo gostoso. Mesmo não querendo admitir, para vocês eu não vou mentir, achei muito bonita demonstração de união de Los Hermanos.
A seleção da Rainha Elizabeth e do Príncipe Charles enfrentou a do Obama. A seleção dos monarcas saiu na frente, mas o time de Obama é muito persistente e contou com uma ajuda um tanto quanto diferente. Vocês se lembram da galinha, digo, frango, dos franceses? Pois bem, o francês dele esqueceu e em campo durante este jogo ele apareceu. Assim, no momento que o atleta americano chutou a bola sem muita pretensão, o frango francês entrou em ação. O goleiro inglês querendo garantir o jantar, vendo o frango e a bola, quis os dois pegar, ficou sem nenhum e permitiu a igualdade no placar. Sem algumas penas com certeza o frango francês ficou, entretanto, ele deve ficar passeando pelos gramados africanos; os goleiros que fiquem espertos com ele!
E a nossa Seleção? Terça-feira nos aguarda para sairmos da retaguarda e entrarmos em campo de vez. Teremos uma semana repleta de futebol, mas infelizmente vou ter que tirar um pouco meus olhos da televisão, pois tenho que garantir meu pão; isso sem falar que o Alcides Rodrigues é o meu patrão. Mas eu confesso que nesses dias de Copa eu não queria trabalhar não.

2 comentários:

  1. Muito bom seu texto extremamente .. amei a forma com que você escreve parece dispor de uma harmonia muito gostasa... com certeza vou estar de olho no seu blog acompanhando tudo...
    Espero ancioso sua crítica do 1° jogo do NOSSO Brasil... Eae Lívia o que você acha que vai dar!??? Aguardo respostas....
    Amei principalmente a parte final do seu texto!

    esta de parabens.....
    Abraçoss.................

    ResponderExcluir
  2. Fico agradecida, Marquinhos. Sou otimista, portanto, acredito que o Brasil vai ganhar. Espero escrever um bom texto sobre o jogo, para não decepcioná-lo. Grande abraço

    ResponderExcluir

sábado, 12 de junho de 2010

E começa a Copa

Meus amigos e minhas amigas, começou o maior evento de futebol do mundo – A Copa do Mundo – Nossa, confesso a vocês que não estou conseguindo desgrudar os olhos da televisão no momento dos jogos(que a professora Kátia ou a professora Lurdinha não leiam isso), é um evento evolvente, empolgante e que mexe muito com o coração da gente. Antes do início da competição, eu não estava muito animada e muito menos empolgada, mas bastou à bola rolar para o meu coração despertar.
No jogo de abertura, quando vi o Parreira, fiquei me questionando: “ué, cadê o Zagallo? E o Robinho, o Kaká....?" Foi pura falta de atenção, eu que estava acompanhando o Goianão e o começo do Brasileirão esqueci de privilegiar a nossa Seleção. Que falta de informação, é o Dunga que está a frente da nossa Seleção, me perdoem meus amigos e minhas amigas, isso tudo foi por causa da grande decepção que sofri quando o Brasil perdeu para a França por causa de um meião. A Seleção do Parreira, que para nossa sorte não é mais a Brasileira, foi a primeira a estrear para ao delírio os donos da casa levar. Entretanto, a vitória não veio, além dos mexicanos, tinha um juiz no meio. O Parreira tem grande responsabilidade, pois comanda o time da CIDADE.
Mais tarde foi a vez dos franceses, dos quais ultimamente nos tornamos grandes fregueses. Inicialmente gritos de Allez les Bleus eram ouvidos, mas quando os torcedores perceberam que o adversário, Uruguai, estava de azul e a França estava de branco, logo se cessou o canto. Tinha um torcedor com um galo, se bem que aquilo não era um galo se parecia mais com uma galinha. Não, não devia ser o frango que apareceu no sábado em campo. O placar desta partida não foi alterado, e o técnico francês ficou desconsolado. Que cara mais antipático.
No sábado tivemos três grandes confrontos. O time dos grandes heróis e deuses mitológicos, não fizeram a vez de Hércules, Tseu, dentre outros e não apelaram a Zeus rei de todos os Deuses, vez que permitiram sem muita resistência a vitória dos coreanos. Ah, eles fizeram a vez de Afrodite a deusa do amor por ocasião do dia dedicado aos apaixonados, eles não quiseram magoar seus adversários. Que ato de heroísmo, digo, romantismo. E os Argentinos? Com uma elegância admirável, Maradona estava mesmo incontestável. As câmaras focalizavam mais ele do que o jogo em si, o gol da Argentina praticamente não vi; só ouvi, ou melhor, li dos lábios de Maradona, algo como: “ei, ei,” contestando a arbitragem. Os argentinos ganharam, se abraçaram e muito comemoraram. Maradona se mostrou muito carinhoso e em cada um de seus atletas deu um beijo gostoso. Mesmo não querendo admitir, para vocês eu não vou mentir, achei muito bonita demonstração de união de Los Hermanos.
A seleção da Rainha Elizabeth e do Príncipe Charles enfrentou a do Obama. A seleção dos monarcas saiu na frente, mas o time de Obama é muito persistente e contou com uma ajuda um tanto quanto diferente. Vocês se lembram da galinha, digo, frango, dos franceses? Pois bem, o francês dele esqueceu e em campo durante este jogo ele apareceu. Assim, no momento que o atleta americano chutou a bola sem muita pretensão, o frango francês entrou em ação. O goleiro inglês querendo garantir o jantar, vendo o frango e a bola, quis os dois pegar, ficou sem nenhum e permitiu a igualdade no placar. Sem algumas penas com certeza o frango francês ficou, entretanto, ele deve ficar passeando pelos gramados africanos; os goleiros que fiquem espertos com ele!
E a nossa Seleção? Terça-feira nos aguarda para sairmos da retaguarda e entrarmos em campo de vez. Teremos uma semana repleta de futebol, mas infelizmente vou ter que tirar um pouco meus olhos da televisão, pois tenho que garantir meu pão; isso sem falar que o Alcides Rodrigues é o meu patrão. Mas eu confesso que nesses dias de Copa eu não queria trabalhar não.

2 comentários:

  1. Muito bom seu texto extremamente .. amei a forma com que você escreve parece dispor de uma harmonia muito gostasa... com certeza vou estar de olho no seu blog acompanhando tudo...
    Espero ancioso sua crítica do 1° jogo do NOSSO Brasil... Eae Lívia o que você acha que vai dar!??? Aguardo respostas....
    Amei principalmente a parte final do seu texto!

    esta de parabens.....
    Abraçoss.................

    ResponderExcluir
  2. Fico agradecida, Marquinhos. Sou otimista, portanto, acredito que o Brasil vai ganhar. Espero escrever um bom texto sobre o jogo, para não decepcioná-lo. Grande abraço

    ResponderExcluir