segunda-feira, 31 de maio de 2010

Mostra pedagógica 2010,abaixo meus amigos e minhas amigas vocês verão algumas fotos, em breve um texto sobre o evento
Mostra pedagógica 2010

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Mostra pedagógica do Waldemar Mundim

Amigos e amigas venham participar da XVI Mostra Pedagógica do Colégio Estadual Waldemar Mundim(meu precioso local de trabalho), no dia 28/05/2010(sexta-feira). "Pluralidade Cultural e Comportamento social" é o que compartilharemos com vocês.

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Borboleta amarela: um bom prenúncio para o time do Vila


O que estaria fazendo uma borboleta amarela em plena noite de futebol no Serra Dourada? Ela estava desfilando entre os atletas e trio de arbitragem do possível espetáculo, no momento da execução do Hino Nacional. Borboleta amarela; cor amarela, nada mais propício para o momento de devoção a Pátria e para época Pré-Copa, a qual estamos vivenciando.

A presença de tal visita inesperada poderia ser um bom prenúncio para o time do Vila Nova? Nesta partida em si não, entretanto, para um futuro com possíveis prosperidades sim - a completude da resposta deixo para o final. O Colorado, não jogou bem, ou melhor, não jogou. Edson Gaúcho, querendo a vitória a qualquer custo, fez uma verdadeira salada na escalação do Vila. Mas a salada estava sem sabor; ah, também pudera, salada não é a especialidade dos Gaúchos, se ao menos fosse um churrasco. Colocou atacante até na ala esquerda; isso que é vontade de ganhar! E o pior, atletas que jogaram nas suas verdadeiras posições, foram figuras nulas em campo. Bruno Casarine e o zagueiro artilheiro Júnior paulista são alguns exemplos. Se bem que Júnior Paulista, não foi tão nulo assim, fez um favorzinho ao Bahia, ao cometer um pênalti em Ananias. Com um zagueiro destes os adversários do Vila, não precisam de “matadores”. Rodrigo Gral cobrou a penalidade e o tímido goleiro Weverton nem na foto saiu.

Perdendo por 1x0, o time do Vila esboçou uma falsa reação, mas o falso ala esquerdo Anderson Gomes, ao dar um bote falso na bola, quase arrancou as pernas falsas, digo, verdadeiras, do atleta baiano. Que ato desumano! Não crucifiquemos o garoto, ele é atacante, jogou na ala esquerda de improviso e a marcação não é o seu verdadeiro ofício. Era lance para vermelho, mas o juizão amarelou, apenas o cartão amarelo aplicou e o garoto vilanovense alegre ficou. Cartão amarelo, borboleta amarela.... Entretanto, sua alegria pouco durou, ao simular uma falta na pequena área, o vermelho levou. Nem todos os atletas são como o polivalente Osmar. Assim, o Colorado, foi descansar 15 minutos em desvantagem no placar e com 11 jogadores a menos, digo, 1 jogador a menos. E a nossa visitante da noite, a borboleta amarela, a essa altura deveria estar saciando a fome de algum pardal ou gavião...

Se no primeiro tempo as coisas estavam complicadas para o Vila, no segundo se complicaram de vez. Pardalzinho e Gavião, não estou falando de aves não, mas sim de dois atletas do Tigrão. Jogadores têm cada nomeação, neste jogo tinha até Jacaré, digo, Itacaré. Bem, mas voltemos as nossas aves, digo, jogadores do Tigre, estes dois atletas não deixaram a torcida colorada muito animada e voaram mais cedo para o vestiário. Entraram atletas e saíram atletas e a mediocridade do futebol dos vilanovenses permanecia bem firme em campo. Com isso, o Bahia deitou e rolou no gramado do Serra, só não aplicou uma goleada histórica no Vila, pela falta de maior capricho nas conclusões para o gol. O Colorado caiu de quatro diante dos baianos.

Entretanto, de acordo com as palavras do humilde treinador Renato Gaúcho, não foi o Vila que jogou mal, e sim o Bahia que jogou bem demais e não permitiu a equipe goiana jogar. É um fato muito consolador para os apaixonados colorados.

Agora, amigos, tentarei completar a resposta da segunda questão proposta por mim. Mesmo com uma derrota vexatória, a presença da borboleta amarela no Serra Dourada foi um prenúncio de boas novas para o Vila e seus torcedores. Amigos, vocês podem até dizer que sou maluca e por vezes, ou melhor, na maioria das vezes sou mesmo, contudo, neste instante passo por momentos de sanidade. Assim sendo, lhes explico melhor: borboleta, de acordo com o dicionário de simbologia, pode significar um novo recomeço e a cor amarela, o despertar de novas esperanças. Com a derrota, Edson Gaúcho foi demitido e... . Axé minha gente colorada.

terça-feira, 25 de maio de 2010

Amigos e amigas, o poema que se segue foi feito para esta professora que vos escreve. Fiquei muito feliz, foi feito por uma aluna de 14 anos, após eu ter falado para ela sobre minha paixão por poesias. O mais incrível é que ela escreveu o poema rapidamente, na minha frente, eu fiquei impressionada...

Venha comigo

Segure minha mão

Viaje comigo neste mundo

Partilhe o voo nas asas de um poema



Venha brincar

Nas rodas da poesia

Drumonnd, paixão, Morais

Shakespeare e tudo mais

Que nostalgia...



Fiel apaixonada literária

Dona do tesouro em saber

Sabe que trazes ao poeta

Toda alegria da esperança de um viver

Obrigada cara amiga por me dar este prazer

De escrever loucos poemas

E lhe ver maravilhada ao ler

Patrícia Rodrigues Lopes

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Goianos no Brasileirão: um início nada animador

Já se passaram três rodadas do Brasileirão em suas respectivas séries A e B e nós, torcedores dos times goianos não temos muito que comemorar. Aliás, muito pelo contrário...

O Vila Nova largou na frente de Goiás e Atlético, vez que de três jogos disputados venceu um e perdeu dois. O Colorado no jogo de estreia já contava com o artilheiro da série B, Júnior Paulista. O zagueiro recém chegado ao clube foi o artilheiro da rodada, marcando dois gols, entretanto, para a tristeza dos colorados, foram contra. O zagueirão não parou por aí, cometeu um pênalti e não interceptou a jogada do quarto gol. No segundo jogo, diante do Icasa em casa, o Vila venceu, com um golzinho de Joãozinho, mas Edson Gaúcho ficou irritadinho. O técnico durão foi chamado de burro e reconheceu que foi a pior partida de um time que ele presenciou em toda sua vida. Contudo, é bem melhor jogar mal e vencer, do que jogar bem e perder. Contra o Guaratinguetá, a derrota foi inevitável, mas o time tem evoluído, começou perdendo de quatro, venceu e agora levou só dois gols e ainda marcou um. Que evolução!

Por outro lado, na série de elite do futebol brasileiro, Goiás e Atlético estão indo de mal a pior. Ao contrário da “evolução” colorada, Goiás e Atlético até o momento vêm regredindo na competição. O Goiás começou perdendo por apenas um gol de diferença, manteve esta média em casa frente aos reservas do Inter e agora levou de três do Bota Fogo. O Atlético empatou o primeiro jogo e perdeu os outros dois. Esperamos que a regressão seja interrompida.

O time do Goiás está se mostrando muito gentil, de nove pontos disputados, fez questão de ceder todos para seus adversários. Começou cedendo três pontos ao Guarani; um time que acabou de retornar do “inferno”, - “Vamos incentivar o Bugre!” Em casa, quis fazer a vez de bom anfitrião não desfeiteando os convidados de “segunda linha” do time gaúcho. No Engenhão, os rapazes esmeraldinos não foram nada engenhosos e sim fizeram a vez de convidados agradáveis; deixando três pontos para fazer companhia para a estrela solitária do Bota Fogo. Estou surpresa com o arrogante Leão, não imaginava que ele era tão caridoso/bondoso assim.

Após seu retorno ao “paraíso”, o Atlético ainda não se reencontrou em campo, afinal, foram muitos anos de padecimento nas profundezas... . Na primeira partida, ficou no 0x0 com mesclado Grêmio. Empate extremamente aceitável, vez que o Atlético também estava poupando jogadores para a fase decisiva da Copa do Brasil. No Rio a “poupação” de atletas continuou e o time seu primeiro gol no Brasileirão levou. Caiu na rede, é gol do Santos, o time paulista demonstrou que não depende apenas dos “meninos da Vila” para obter bons resultados. Diante do peixe, o Atlético jogou completo, mas foi derrotado. Quem pensou que iria saborear peixe assado, está amargando a indigestão da derrota até hoje. E olha que não era um peixe qualquer.

O técnico Leão está otimista, pois percebeu uma evolução no time esmeraldino e segundo ele a apreciação da Copa do Mundo poderá melhorar o nível técnico dos atletas (outro filósofo no Goiás). Entretanto, para o azar do treinador, jogadores dos demais times, futuros adversários do Verde, também estarão de olho na Copa. O Brasileirão Pós-Copa do Mundo será muito mais atrativo, vez que o nível técnico será “elevadíssimo”. Com relação ao Atlético, o time até que tem feito boas apresentações, mas ainda não conseguiu vencer. É preferível fazer como o Vila tem feito, não tem jogado bem, porém foi o único time goiano a conquistar uma vitória no nacional. Hum, mas como podemos definir o Goiás? O time não jogou bem e não venceu também... Ah, a definição, amigos, está na colocação do time na tabela. Infelizmente, amigos esmeraldinos, o Goiás mais uma vez está segurando a lanterna do campeonato brasileiro.
É amigos, os nossos times goianos não tiveram um início muito animador no Brasileirão 2010. Muitos podem até dizer que ainda é muito cedo, para fazermos qualquer previsão e de fato é mesmo. Entretanto, já temos equipes despontando na tabela de classificação.

segunda-feira, 31 de maio de 2010

Mostra pedagógica 2010,abaixo meus amigos e minhas amigas vocês verão algumas fotos, em breve um texto sobre o evento
Mostra pedagógica 2010

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Mostra pedagógica do Waldemar Mundim

Amigos e amigas venham participar da XVI Mostra Pedagógica do Colégio Estadual Waldemar Mundim(meu precioso local de trabalho), no dia 28/05/2010(sexta-feira). "Pluralidade Cultural e Comportamento social" é o que compartilharemos com vocês.

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Borboleta amarela: um bom prenúncio para o time do Vila


O que estaria fazendo uma borboleta amarela em plena noite de futebol no Serra Dourada? Ela estava desfilando entre os atletas e trio de arbitragem do possível espetáculo, no momento da execução do Hino Nacional. Borboleta amarela; cor amarela, nada mais propício para o momento de devoção a Pátria e para época Pré-Copa, a qual estamos vivenciando.

A presença de tal visita inesperada poderia ser um bom prenúncio para o time do Vila Nova? Nesta partida em si não, entretanto, para um futuro com possíveis prosperidades sim - a completude da resposta deixo para o final. O Colorado, não jogou bem, ou melhor, não jogou. Edson Gaúcho, querendo a vitória a qualquer custo, fez uma verdadeira salada na escalação do Vila. Mas a salada estava sem sabor; ah, também pudera, salada não é a especialidade dos Gaúchos, se ao menos fosse um churrasco. Colocou atacante até na ala esquerda; isso que é vontade de ganhar! E o pior, atletas que jogaram nas suas verdadeiras posições, foram figuras nulas em campo. Bruno Casarine e o zagueiro artilheiro Júnior paulista são alguns exemplos. Se bem que Júnior Paulista, não foi tão nulo assim, fez um favorzinho ao Bahia, ao cometer um pênalti em Ananias. Com um zagueiro destes os adversários do Vila, não precisam de “matadores”. Rodrigo Gral cobrou a penalidade e o tímido goleiro Weverton nem na foto saiu.

Perdendo por 1x0, o time do Vila esboçou uma falsa reação, mas o falso ala esquerdo Anderson Gomes, ao dar um bote falso na bola, quase arrancou as pernas falsas, digo, verdadeiras, do atleta baiano. Que ato desumano! Não crucifiquemos o garoto, ele é atacante, jogou na ala esquerda de improviso e a marcação não é o seu verdadeiro ofício. Era lance para vermelho, mas o juizão amarelou, apenas o cartão amarelo aplicou e o garoto vilanovense alegre ficou. Cartão amarelo, borboleta amarela.... Entretanto, sua alegria pouco durou, ao simular uma falta na pequena área, o vermelho levou. Nem todos os atletas são como o polivalente Osmar. Assim, o Colorado, foi descansar 15 minutos em desvantagem no placar e com 11 jogadores a menos, digo, 1 jogador a menos. E a nossa visitante da noite, a borboleta amarela, a essa altura deveria estar saciando a fome de algum pardal ou gavião...

Se no primeiro tempo as coisas estavam complicadas para o Vila, no segundo se complicaram de vez. Pardalzinho e Gavião, não estou falando de aves não, mas sim de dois atletas do Tigrão. Jogadores têm cada nomeação, neste jogo tinha até Jacaré, digo, Itacaré. Bem, mas voltemos as nossas aves, digo, jogadores do Tigre, estes dois atletas não deixaram a torcida colorada muito animada e voaram mais cedo para o vestiário. Entraram atletas e saíram atletas e a mediocridade do futebol dos vilanovenses permanecia bem firme em campo. Com isso, o Bahia deitou e rolou no gramado do Serra, só não aplicou uma goleada histórica no Vila, pela falta de maior capricho nas conclusões para o gol. O Colorado caiu de quatro diante dos baianos.

Entretanto, de acordo com as palavras do humilde treinador Renato Gaúcho, não foi o Vila que jogou mal, e sim o Bahia que jogou bem demais e não permitiu a equipe goiana jogar. É um fato muito consolador para os apaixonados colorados.

Agora, amigos, tentarei completar a resposta da segunda questão proposta por mim. Mesmo com uma derrota vexatória, a presença da borboleta amarela no Serra Dourada foi um prenúncio de boas novas para o Vila e seus torcedores. Amigos, vocês podem até dizer que sou maluca e por vezes, ou melhor, na maioria das vezes sou mesmo, contudo, neste instante passo por momentos de sanidade. Assim sendo, lhes explico melhor: borboleta, de acordo com o dicionário de simbologia, pode significar um novo recomeço e a cor amarela, o despertar de novas esperanças. Com a derrota, Edson Gaúcho foi demitido e... . Axé minha gente colorada.

terça-feira, 25 de maio de 2010

Amigos e amigas, o poema que se segue foi feito para esta professora que vos escreve. Fiquei muito feliz, foi feito por uma aluna de 14 anos, após eu ter falado para ela sobre minha paixão por poesias. O mais incrível é que ela escreveu o poema rapidamente, na minha frente, eu fiquei impressionada...

Venha comigo

Segure minha mão

Viaje comigo neste mundo

Partilhe o voo nas asas de um poema



Venha brincar

Nas rodas da poesia

Drumonnd, paixão, Morais

Shakespeare e tudo mais

Que nostalgia...



Fiel apaixonada literária

Dona do tesouro em saber

Sabe que trazes ao poeta

Toda alegria da esperança de um viver

Obrigada cara amiga por me dar este prazer

De escrever loucos poemas

E lhe ver maravilhada ao ler

Patrícia Rodrigues Lopes

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Goianos no Brasileirão: um início nada animador

Já se passaram três rodadas do Brasileirão em suas respectivas séries A e B e nós, torcedores dos times goianos não temos muito que comemorar. Aliás, muito pelo contrário...

O Vila Nova largou na frente de Goiás e Atlético, vez que de três jogos disputados venceu um e perdeu dois. O Colorado no jogo de estreia já contava com o artilheiro da série B, Júnior Paulista. O zagueiro recém chegado ao clube foi o artilheiro da rodada, marcando dois gols, entretanto, para a tristeza dos colorados, foram contra. O zagueirão não parou por aí, cometeu um pênalti e não interceptou a jogada do quarto gol. No segundo jogo, diante do Icasa em casa, o Vila venceu, com um golzinho de Joãozinho, mas Edson Gaúcho ficou irritadinho. O técnico durão foi chamado de burro e reconheceu que foi a pior partida de um time que ele presenciou em toda sua vida. Contudo, é bem melhor jogar mal e vencer, do que jogar bem e perder. Contra o Guaratinguetá, a derrota foi inevitável, mas o time tem evoluído, começou perdendo de quatro, venceu e agora levou só dois gols e ainda marcou um. Que evolução!

Por outro lado, na série de elite do futebol brasileiro, Goiás e Atlético estão indo de mal a pior. Ao contrário da “evolução” colorada, Goiás e Atlético até o momento vêm regredindo na competição. O Goiás começou perdendo por apenas um gol de diferença, manteve esta média em casa frente aos reservas do Inter e agora levou de três do Bota Fogo. O Atlético empatou o primeiro jogo e perdeu os outros dois. Esperamos que a regressão seja interrompida.

O time do Goiás está se mostrando muito gentil, de nove pontos disputados, fez questão de ceder todos para seus adversários. Começou cedendo três pontos ao Guarani; um time que acabou de retornar do “inferno”, - “Vamos incentivar o Bugre!” Em casa, quis fazer a vez de bom anfitrião não desfeiteando os convidados de “segunda linha” do time gaúcho. No Engenhão, os rapazes esmeraldinos não foram nada engenhosos e sim fizeram a vez de convidados agradáveis; deixando três pontos para fazer companhia para a estrela solitária do Bota Fogo. Estou surpresa com o arrogante Leão, não imaginava que ele era tão caridoso/bondoso assim.

Após seu retorno ao “paraíso”, o Atlético ainda não se reencontrou em campo, afinal, foram muitos anos de padecimento nas profundezas... . Na primeira partida, ficou no 0x0 com mesclado Grêmio. Empate extremamente aceitável, vez que o Atlético também estava poupando jogadores para a fase decisiva da Copa do Brasil. No Rio a “poupação” de atletas continuou e o time seu primeiro gol no Brasileirão levou. Caiu na rede, é gol do Santos, o time paulista demonstrou que não depende apenas dos “meninos da Vila” para obter bons resultados. Diante do peixe, o Atlético jogou completo, mas foi derrotado. Quem pensou que iria saborear peixe assado, está amargando a indigestão da derrota até hoje. E olha que não era um peixe qualquer.

O técnico Leão está otimista, pois percebeu uma evolução no time esmeraldino e segundo ele a apreciação da Copa do Mundo poderá melhorar o nível técnico dos atletas (outro filósofo no Goiás). Entretanto, para o azar do treinador, jogadores dos demais times, futuros adversários do Verde, também estarão de olho na Copa. O Brasileirão Pós-Copa do Mundo será muito mais atrativo, vez que o nível técnico será “elevadíssimo”. Com relação ao Atlético, o time até que tem feito boas apresentações, mas ainda não conseguiu vencer. É preferível fazer como o Vila tem feito, não tem jogado bem, porém foi o único time goiano a conquistar uma vitória no nacional. Hum, mas como podemos definir o Goiás? O time não jogou bem e não venceu também... Ah, a definição, amigos, está na colocação do time na tabela. Infelizmente, amigos esmeraldinos, o Goiás mais uma vez está segurando a lanterna do campeonato brasileiro.
É amigos, os nossos times goianos não tiveram um início muito animador no Brasileirão 2010. Muitos podem até dizer que ainda é muito cedo, para fazermos qualquer previsão e de fato é mesmo. Entretanto, já temos equipes despontando na tabela de classificação.